No Zimbabwe começa um novo período, ou mais do mesmo?

Harare – Emmerson Mnangagwa, que prepara-se para suceder Robert Mugabe, saudou quarta-feira, em Harare, “o início de uma nova democracia” no Zimbabwe e apelou “todos patriotas” a trabalhar em conjunto, no seu primeiro discurso desde o início da crise, noticiou a AFP.

ZIMBABWE: EMMERSON MNANGAGWA, TOMA POSSE SEXTA-FEIRA COMO PRESIDENTE DO ZIMBABWE.

FOTO: ALBERTO JULIÃO

Prometendo ser “o servidor” do povo, o antigo vice-presidente, 75 anos, que deve ser investido sexta-feira, presidente do país, apelou “todos os zimbabweanos patriotas a reunir-se, a trabalhar em conjunto”.

“Queremos o crescimento da nossa economia, queremos empregos”, disse, numa altura em que o Zimbabwe conhece altos níveis de desemprego, uma falta de liquidez e um endividamento crescente.

Por outro lado, agradeceu o exército que, na sequência da sua demissão, interveio na noite de 14 a 15, sem violência aparente. O responsável revelou ter estado “em contacto permanente” com os responsáveis castrenses durante a crise.

Sob a pressão dos militares, da rua e do seu partido, Robert Mugabe, 93 anos, aceitou terça-feira, demitir-se, após 37 anos na liderança do país.