Eleições presidenciais no Senegal confirmaram o favoritismo

 

eleições 2019

Mais de 6,6 milhões de senegaleses participaram das eleições  para escolher o Presidente do país para os próximos cinco anos, que acabou reelegendo  o actual chefe de Estado, Macky Sall, do  país da África Ocidental que goza de uma democracia estável.

A segurança do escrutínio foi mantida por oito mil polícias, e cinco mil observadores, dos quais 900 estrangeiros, estiveram presentes nas mesas de voto.

Falando a agência de notícias francesa France-Presse, na sede da coligação presidencial, em Dakar, Mahammed Dionne disse que “os resultados permitem-nos dar os parabéns ao presidente Macky Sall pela sua reeleição”.

A agência de notícias espanhola EFE cita também o primeiro-ministro senegalês, que anunciou Macky Sal como vencedor, na primeira volta, das eleições presidenciais de domingo, com pelo menos 57 por cento dos votos, salvaguardando, no entanto, que a Comissão Eleitoral do país ainda não tinha revelado os resultados oficiais provisórios.

Também os órgãos de comunicação social locais colocavam Sal na liderança às primeiras horas da contagem dos votos – mas alguns não atribuíam os 51 por cento necessários para evitar uma segunda volta, o que levantou duras críticas dos candidatos da oposição por entenderem que só a Comissão Eleitoral pode adiantar resultados oficiais.

images

Situado junto ao Atlântico, o Senegal tem uma população de 15,8 milhões de pessoas com uma média de idades de 19 anos.

O mandato de Sall ficou marcado por um crescimento económico e pelo desenvolvimento de infra-estruturas, embora as deficiências nos serviços básicos tenham sido motivo de protesto por parte dos senegaleses.

Segundo o Banco Mundial, a economia do Senegal tem vindo a apresentar um crescimento regular nos últimos anos, tendo, em 2017, registado um aumento de 7,2%, ficando acima dos 6% pelo terceiro ano consecutivo. Este crescimento foi potenciado por um plano de desenvolvimento que “impulsionou o investimento público e a atividade do sector privado”.

mapa-senegal

Durante o atual mandato, Macky Sall focou-se na construção de infra-estruturas como um novo aeroporto internacional, a construção de estradas e de uma ligação ferroviária entre Dacar e a nova cidade de Diamniadio. Ainda assim, as deficiências em serviços primários, como a saúde e a educação, levaram à existência de várias greves e manifestações.

Com os últimos dados a apontarem para uma taxa de desemprego de 15,7% e uma taxa de pobreza cifrada em 47%, são grandes os desafios que o vencedor das eleições de hoje terá de enfrentar.

Antiga colónia francesa, o Senegal obteve a sua independência em Abril de 1960.

O Brasil tem sido um dos destinos dos imigrantes sengeleses, a procura de emprego, por melhores condições de vida. Nas ruas das grandes cidades como São Paulo , Porto Alegre há um padrão nas principais vias de circulação de pedestres: vários homens negros, em sequência, sentados em banquinhos, ao lado de uma lona esticada no chão com uma variedade de produtos exposta. Não exite uma estação de metrô em são Paulo em que não encontramos um senegalense vendendo produtos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s