prdhl

Presidente da República e líder da Renamo contradizem-se sobre violação da trégua de sete dias

prdhl

Nyusi fala de tranquilidade e Dhlakama diz que houve provocações

O Presidente da República convocou, na tarde de segunda-feira, uma conferência de imprensa onde fez o balanço dos sete dias de trégua entre o braço armado da Renamo e as Forças Governamentais. Filipe Nyusi disse, na ocasião, que estava satisfeito porque a semana da trégua foi tranquila.

“Fazemos uma boa leitura, no sentido de tranquilidade. Dos contactos que fiz com o Governo provincial de Inhambane, que é corredor, mas também com o Governo de Tete, querendo ter a sensibilidade sobre o que está a acontecer, e as Forças de Defesa e Segurança sobre aquilo que comunicam sobre o que realmente está a acontecer, fiquei sensibilizado e notei que havia muita mudança. O Governo não está a fazer nenhum ataque”, sustentou Filipe Nyusi.

Entretanto, Afonso Dhlakama não tem a mesma opinião e aponta casos de provocações das Forças de Defesa e Segurança. Diz que houve dois ataques a populações, ambos no distrito de Gorongosa.

“Um grupo das FADM, numa posição de Tondo, no posto administrativo de Canda, aqui na Gorongosa, foi a umas barracas, num mercado local, chegou lá, queimou tudo, roubou e voltou a correr para a sua posição. E também, outro grupo saiu da posição de Nhaulanga, na zona de Mucota, e foi à casa de um membro da Renamo, arrombou a casa, levou tudo, malas e tudo… e queimou, outras coisas roubou para a sua posição”, argumentou Afonso Dhlakama, explicando que as incidências foram reportadas ao Presidente da República.

Filipe Nyusi diz que está a ser criada uma confiança entre a Renamo e o Governo e afirma que a mesma será produtiva. Mas alerta que o povo deve, também, incentivar ao entendimento entre as partes. “Esta confiança tem que ser alimentada por todos. Toda a sociedade tem de acreditar e tem de encorajar, para que as pessoas possam falar”, disse o estadista.

Filipe Nyusi diz que a preocupação não deve ser o que acontece ou deixa de acontecer durante o período de tréguas, até porque para ele, há sempre possibilidade de uma correcção.

Apesar das diferenças, as partes entenderam-se e vão alargar o acordo de tréguas por mais dois meses.

 

http://opais.sapo.mz/index.php/politica/63-politica/43093–presidente-da-republica-e-lider-da-renamo-contradizem-se-sobre-violacao-da-tregua-de-sete-dias.html

af

Afonso Dhlakama confirma trégua por mais 60 dias

afEstá Confirmado! Tal como o O País havia avançado, o Presidente da República e o líder da Renamo chegaram a novo acordo sobre o cessar-fogo. A trégua será estendida por mais dois meses.

A trégua inicial terminava já amanhã, dia 04 de Janeiro. Entretanto, o líder da Renamo convocou, hoje, uma conferência de imprensa, por telefone, para anunciar o prolongamento da trégua por mais 60 dias.

Afonso Dhlakama disse, por outro lado, que durante os sete dias de paz, houve algumas violações por parte das Forças de Defesa e Segurança.

Dhlakama assegura, ainda, que o diálogo político na presença de mediadores internacionais vai continuar, e o Governo e a Renamo vão indicar especialistas para viabilizar a Lei da descentralização.

O novo acordo entre Filipe Nyusi e Afonso Dhlakama foi fechado ontem ao telefone. Dhlakama diz que foi ele quem tomou a iniciativa e agradece pela colaboração de Filipe Nyusi.

http://opais.sapo.mz/index.php/politica/63-politica/43069-afonso-dhlakama-confirma-tregua-por-mais-60-dias-.html