Autobiografia de Forsyth recorda golpe de Estado na Guiné Bissau

img_905x603$2016_07_18_10_16_34_552179

Frederick Forsyth decidiu deslocar-se ao país na sequência das investigações para um romance.

 

Por Lusa O romancista britânico Frederick Forsyth, na autobiografia publicada em Portugal, diz que traficantes de cocaína colombianos foram “provavelmente” os responsáveis pelo atentado que vitimou o chefe de Estado-Maior do Exército guineense, em 2009.

“O meu avião da TAP descolou de Lisboa às 20:30. O que eu não sabia era que, mal o avião virou para sul, uma bomba explodiu no quartel-general do Exército guineense, espalhando o chefe do Estado-Maior em vários pedaços por todo o gabinete. Foi assim que começou o golpe de Estado”, recorda o escritor, referindo-se aos acontecimentos que viveu em Bissau em 2009 e que levaram ao assassinato do então chefe de Estado Nino Vieira. Frederick Forsyth decidiu deslocar-se ao país na sequência das investigações para um romance (‘The Cobra’), que tem como base o “vasto mundo” do crime por detrás do tráfico de cocaína.

http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/autobiografia_de_frederick_forsyth_recorda_golpe_de_estado_na_guine_bissau.html

Advertisements