A África no carnaval brasileiro

Numa disputa acirradíssima, a Acadêmicos do Tatuapé se sagrou campeã do desfile do Grupo Especial de São Paulo. A definição veio apenas no último quesito. Este foi o primeiro título da escola. academpp_tatuape_009250217

Na última nota do quesito samba-enredo, a agremiação atingiu 269,7 pontos. A Dragões também terminou com 269,7 pontos, mas pelo critério de desempate, que era samba-enredo, acabou em segundo lugar.

A escola foi a quarta a desfilar na sexta-feira, primeiro dia de desfiles no Sambódromo do Anhembi. Ela apresentou o enredo “Mãe África conta a sua história: Do berço sagrado da humanidade à abençoada terra do grande Zimbabwe”.

Acadêmicos do Tatuapé é a campeã do desfile do Grupo Especial de São Paulo
Acadêmicos do Tatuapé é a campeã do desfile do Grupo Especial de São Paulo

A escola teve 3.200 integrantes em 26 alas e 5 carros alegóricos, e teve Leci Brandão e Sabrina Boing Boing como destaques.

No desfile, houve a representação de uma mãe contando a história do continente como conta a história dos filhos. No início, o solo e a terra de onde surgiram os primeiros vestígios de vida. Depois, as histórias dos reinos do Egito, Marrocos e Gana. No terceiro carro, a escola homenageou todas as religiões do território africano. No fim, houve uma homenagem ao Zimbábue, considerada a Terra do Ouro no continente. 

24fev2017-a-academicos-do-tatuape-desfila-na-primeira-noite-do-carnaval-de-sao-paulo-com-o-enredo-mae-africa-uma-homenagem-a-uma-africa-festiva-1488009528446_v2_9

A crise também afetou o Carnaval da Guiné-Bissau

carnvalCarnaval como fator de inserção social econômica” foi o lema escolhido, este ano, para animar a maior festa popular na Guiné-Bissau. O carnaval não escapou às consequências da crise e a um braço-de-ferro entre o governo e a comissão organizadora.

Quatro dias de folia. Muito povo nas ruas. A festa, que deve terminar esta terça-feira, concentra-se em Bissau. O carnaval deste ano ficará na história pelo braço-de-ferro entre a comissão organizadora e o governo devido às verbas para a festa.

Só à última hora é que o Governo decidiu dar dinheiro para que fosse organizado o tradicional desfile. A comissão organizadora tinha apresentado um orçamento de mais de 200 milhões de francos CFA, cerca de 131 mil euros, mas o Governo mostrou-se indisponível para dar todo esse dinheiro e só na véspera é que o executivo avançou com parte dos fundos.carnevale-sfilata2.jpg

Às pressas, a comissão organizadora chamou os grupos para um concurso. As oito regiões do interior fizeram-se representar mas, de Bissau, apenas participaram no desfile três bairros: Brá, Chada e Chão de Papel e Chão de Papel, este último vencedor do Carnaval 2017.

O atraso na entrega do dinheiro e a indefinição sobre se havia ou não desfile fizeram com que o carnaval deste ano ficasse aquém das expectativas habituais. Os foliões dizem que tudo foi organizado às pressas.

http://pt.rfi.fr/guine-bissau/20170228-crise-tambem-afectou-o-carnaval-da-guine