Mauritanianos votam em referendo constitucional que extingue o Senado

Nouakchott – Os mauritanianos votam sábado num referendo constitucional covocado pelo presidente Mohamed Ould Abdel Aziz, que prevê a supressão de várias instituições, incluindo o Senado, uma

PRESIDENTE DA MAURITÂNIA, MOHAMED OULD ABDEL AZIZ

FOTO: SEYLLOU

Elaborada em Setembro e Outubro, durante o diálogo entre o governo e a oposição, esta revisão trata da substituição do Senado pelos Conselhos Regionais eleitos, a supressão do Alto Tribunal de Justiça, do Provedor de Justiça e do Alto Conselho Islâmico, e a alteração da bandeira nacional.

Cerca de 1,4 milhões de mauritanianos são chamados às urnas das 07H00 às 19H00 GMT, num escrutínio cujos resultados serão publicados no início da próxima semana.

A campanha termina nesta quinta-feira, com o último comício do chefe de Estado, que promete “revelações”.

Amargurado pela não aprovação deste projecto no Senado, embora majoritariamente favorável ao poder, o estadista acusou os senadores que o opõem de “corrupção”, exortando o povo a “eliminar esta câmara perigosa para o futuro do país e da sua democracia”.

Ould Abdel Aziz, que fez campanha em todo o país para o “sim massivo”, afirma também que a oposição quer “criar o caos”.

A oposição radical, agrupada no seio de uma aliança, denunciou no início da campanha uma “farsa inútil e cujas intenções escondidas são evidentes”, referindo-se às intenções que dispõe Ould Abdel Aziz.

Os mauritanianos votarão no sábado em duas urnas: uma para as principais alterações e outro para a modificação da bandeira, da qual será acrescentada duas listras vermelhas, simbolizando o sangue dos “mártires da resistência” derramado durante a colonização francesa.

A Mauritânia proclamou a sua independência em 1960.

 

http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/7/31/Mauritania-Mauritanianos-vao-urnas-sabado-para-referendo-constitucional,4abcc548-2b46-461b-ac6a-541e18a7f06c.html

Advertisements
Aside

Plenário do Senado brasileiro aprova indicações de embaixadores para África do Sul, Mauritânia e Timor Leste

 

Por 54 votos favoráveis, dois votos contrários e uma abstenção, o Plenário aprovou nesta terça (19) a indicação do diplomata Nedilson Ricardo Jorge para exercer o cargo de embaixador do Brasil na África do Sul e, cumulativamente, no Reino de Lesoto e na República de Maurício. A aprovação será comunicada à Presidência da República.

0000000000000000000.jpg

Também foram aprovadas as indicações do diplomata Leonardo Carvalho Monteiro para a embaixada do Brasil na Mauritânia (59 votos favoráveis e dois votos contrários) e do diplomata Aldemo Serafim Júnior para a embaixada do Brasil no Timor Leste (49 votos favoráveis, um voto contrário e uma abstenção).

No dia 14, durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores (CRE), Nedilson avaliou que a entrada em vigor do Acordo de Preferências Comerciais entre o Mercosul e a União Aduaneira da África Austral (Sacu), em 1º de abril, deverá abrir novas perspectivas para o relacionamento econômico entre as duas regiões.

De acordo com o diplomata, o acordo permitirá melhor acesso da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela a um mercado estimado em 65 milhões de consumidores da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia e Suazilândia.

Mauritânia

Formado em Letras pela Universidade Mackenzie-SP, Leonardo Carvalho Monteiro serviu nas embaixadas em Copenhague, Wellington e Varsóvia e atuou como cônsul-geral adjunto no Consulado Geral em Ciudad del Este, Barcelona e Paris. Em Jacarta, desempenhava, desde 2014, a função de ministro-conselheiro e encarregado de negócios. Agora, vai ocupar a embaixada brasileira na República Islâmica da Mauritânia, país localizado no noroeste da África, com uma população de quase 4 milhões de habitantes.

Timor Leste

Aldemo Serafim Júnior é bacharel em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB) e exerceu funções no Ministério da Cultura, como secretário-executivo da Comissão Organizadora do Centenário do Presidente Juscelino Kubitschek, e no Ministério das Comunicações, como chefe da Assessoria Internacional do gabinete do ministro. Foi Encarregado de Negócios nas embaixadas em Argel e em Lomé, tendo exercido funções também na delegação junto à Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington. Será embaixador em Timor Leste, um dos países mais jovens do mundo, localizado na ilha de Timor, no Sudeste Asiático, e integrante da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/04/19/plenario-aprova-indicacoes-de-embaixadores-para-africa-do-sul-mauritania-e-timor-leste