Governo e Vale Moçambique em mesa redonda devido à paralisação de comboios

Foto genérica
MOÇAMBIQUE
A Vale Moçambique decidiu paralisar a circulação dos seus comboios de transporte de carvão em Moatize através da linha férrea de Sena, devido à tensão político-militar que assola Moçambique e a região centro em particular há já alguns meses. Aliás, a Vale Moçambique já viu alguns dos seus comboios a serem alvos de ataque protagonizado pelos homens armados da Renamo.

A paralisação da circulação de comboios por parte da Brasileira Vale deixa preocupado o governo de Moçambique, que de imediato chamou a empresa mineira Vale Moçambique para se sentarem na mesma mesa para o reinício do transporte de carvão extraído em Moatize, província central de Tete, através da linha de caminho-de-ferro do Sena.

Segundo o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, o governo já teve um encontro com representantes do grupo brasileiro Vale, a quem garantiu o envolvimento das autoridades moçambicanas na proteção da linha para permitir que as operações ferroviárias sejam retomadas.

A mineradora Vale Moçambique decidiu suspender o envio do carvão para o porto da Beira há cerca de dois meses, na sequência de ataques contra as composições ferroviárias, de que resultaram alguns feridos ligeiros e danos materiais.

A linha de Sena, com 357 quilómetros, liga o porto da Beira, via Dondo, ao Malawi, dispondo ainda do ramal Inhamitanga/Marromeu (88 quilómetros) e do troço Dona Ana/Moatize (254 quilómetros), constituindo a espinha dorsal da região centro de Moçambique e do vale do Zambeze, em particular.

A paralisação dos comboios com carvão, segundo Carlos Mesquita, está a causar prejuízos à empresa estatal Portos e Caminho-de-ferro de Moçambique, estimados em cerca de 50 milhões de dólares (cerca de 45 milhões de euros).

O último ataque a um comboio da Vale foi há menos de duas semanas, quando homens armados da Renamo atacaram uma locomotiva, provocando um ferido ligeiro, no posto administrativo de Mutuali, distrito de Malema, na província setentrional de Nampula.

Advertisements